Conheça os riscos de utilizar inseticida caseiro

A primavera e o verão são as estações com maior incidência de casos infestação de pragas urbanas, isso porque são épocas com temperaturas mais elevadas e de maior umidade, cenário ideal para a procriação de insetos. Então a solução encontrada pela a maioria das residências é a mesma: o inseticida. Parece ser uma solução fácil e eficaz, o que faz ser usado em larga escala, porém apresenta sérios riscos à saúde.

Vendidos em supermercados, os aerossóis e pastilhas para equipamentos eletrônicos estão presentes em cerca de 80% das casas em todo o mundo, segundo pesquisas norte-americanas. O objetivo desses inseticidas é acabar com os insetos invasores e, em alguns casos, eles cumprem o prometido, mas também podem trazer prejuízos para quem entra em contato com a substância química.   

Hoje em dia, encontramos inseticidas com odor reduzido, o que dá a sensação de serem inofensivos aos seres humanos. Porém, os princípios ativos são os mesmos dos outros inseticidas. O cheiro pode vir tanto dos princípios ativos quanto do veículo usado para dissolvê-lo. Os produtos com menor odor utilizam como veículo a água e como não tem cheiro as pessoas ficam menos alertas.

Os riscos dos inseticidas caseiros

Os inseticidas de uso doméstico estão divididos em três grupos químicos: os piretroides, os carbamatos e os organofosforados. O primeiro grupo compreende a maioria dos produtos usados e tem toxicidade menor do que a dos inseticidas utilizados no campo, mas como a sua função é eliminar os insetos, há riscos à saúde humana. Ao inalá-los, a pessoa pode apresentar dificuldades respiratórias e obstrução nasal. Ingerir essas substâncias – o que é muito comum entre crianças – pode causar até uma convulsão.

Já nas categorias dos carbamatos e organofosforados, os perigos são maiores. Isso, porque são mais próximos aos venenos utilizados na agricultura. Alguns são possíveis de encontrar até nos supermercados, e a inalação deles pode causar miose (diminuição da pupila), aumento da secreção nasal, lacrimação, cólicas, diarreia, tremores e convulsões. Se o contato for com a pele pode surgir outros sintomas em todo o corpo.

Se houver contaminação, a pessoa deve ser levada imediatamente ao hospital junto com a embalagem do produto, pois nele existem orientações sobre o tratamento, além da composição. No caso de contato com a pele, lave o local com água corrente antes de ir ao hospital. E na situação de ingestão, não realize nenhum procedimento caseiro e procure um médico.

Em casos de infestação de insetos e pragas urbanas, a melhor solução é contratar uma empresa especializada e com profissionais qualificados. Eles vão saber qual o melhor procedimento para eliminar as pragas, sem colocar a saúde das pessoas e animais domésticos em risco.

A Polinseto realiza o serviço de dedetizaçãodesratização, descupinização e controle de pragas para empresas e residências. Entre em contato pelo telefone (41) 3256-7625 ou solicite um orçamento por WhatsApp: (41) 98484-7625.
Acompanhe a nossa página no Facebook e o nosso blog para mais informações e dicas.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Entre em contato

Envie sua mensagem com telefone que retornaremos o mais rápido possível.

Enviando

Desenvolvido por Mercado Binário - Criação de site.

Click Me

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?