Alergias e dermatite: a mariposa e seus riscos à saúde

Alergias e dermatite: a mariposa e seus riscos à saúde | Polinseto, dedetizadora em curitiba que realiza o serviço de extermínio de cupins, insetos , baratas, aranhas e todo tipo de inseto. Contrate agora nossos serviços de descupinização, dedetização, desinsetização e dedetização preventiva

A mariposa pode parecer inofensiva, mas pode trazer prejuízos à saúde: ela solta um pó que pode causar dermatite. Saiba como se proteger.

Os meses mais quentes do ano são propícios para a reprodução de diferentes pragas urbanas – principalmente os insetos. No verão é fácil encontrar mosquitos, pernilongos, baratas e também mariposas perto de casa.

Mesmo quem tem medo de insetos geralmente não sente tanto incômodo com as mariposas. Elas aparecem à noite e costumam voar em círculos nas lâmpadas, dentro ou fora de casa. Mas o contato com esses insetos também tem seus perigos: ela pode causar de dermatite – uma infecção de pele que causa vermelhidão, manchas e muita coceira.

Isso acontece porque, enquanto a mariposa bate suas asas, é liberado um pó chamado de cantaridina, que quando entra em contato com a nossa pele, causa alergia. Os sintomas aparecem logo em seguida e podem levar quase uma semana para desaparecerem por completo.

E não é apenas o contato direto com as mariposas que pode causar a dermatite. Quando elas sobrevoam as roupas no varal ou até mesmo móveis externos, esse pó pode se espalhar pela superfície, podendo atingir as pessoas da casa no dia seguinte.

Mesmo que pareçam ser inofensivas, é preciso tomar muito cuidado com as mariposas.

Doenças causadas por mariposas: dermatite

A dermatite é um termo médico para classificar um grupo de doenças que pode causar inflamação na pele. Pode ter diferentes causas, inclusive o contato com cantaridina – o pó que as mariposas soltam durante o voo.

A pele com dermatite pode apresentar vermelhidão, manchas e coceira. Em alguns casos pode causar também algumas bolhas, e raramente, um estado de necrose – mais grave. Em contato com os olhos, pode causar uma inflamação ainda mais grave da córnea.

A coceira é o primeiro sinal da inflamação e aparece logo após o contato com os insetos ou com uma superfície que continha a cantaridina. Lembramos que é de extrema importância ir ao médico para receber o diagnóstico e jamais se automedicar. Os sintomas podem assemelhar com começo de dengue ou ainda com outras doenças de pele, como a sarna – mas cada caso deve ser tratado de forma diferente.

A dermatite das mariposas é tratada com remédios antialérgicos e pomadas, podendo durar até uma semana.

Leia mais: Pragas urbanas: qual é qual e como se livrar de uma infestação

Conheça mais sobre as mariposas

As mariposas fazem parte da ordem Lepidoptera, assim como as borboletas. São encontradas em praticamente todo o mundo, e gostam principalmente de regiões tropicais, como o Brasil. Existem mais de 160 mil espécies de mariposas catalogadas, muito mais do que sua prima borboleta, com apenas 17 mil tipos. E as diferenças não param por aí: grande parte das mariposas têm hábitos noturnos e cores mais sólidas. As borboletas, ao contrário, são vistas durante o dia e têm cores mais diversas.

Aqui no Brasil alguns estados conhecem a mariposa como “bruxa“, devido a lendas urbanas que contavam a história de mulheres feiticeiras que se transformavam nesses insetos durante a noite. Há muito tempo, a também chamada Ascalapha odorata, era vista como um sinal de mau agouro. Sua presença era associada à morte em toda a América, e inclusive é conhecida no México como mariposa de la muerte.

Nas florestas da América do Sul, também existe uma outra espécie que os pesquisadores nunca tinham visto até 2008. A mariposa Calyptra, conhecida como vampira, que se alimenta de sangue de animais e até mesmo de humanos. Ela tem um probóscide, focinho longo e flexível igual o dos mosquitos, que perfura a pele e suga o sangue das vítimas.

Como se prevenir

Para se prevenir das mariposas é preciso tomar alguns cuidados básicos, como colocar telas nas janelas, deixar poucas luzes acesas durante a noite e também lembrar de limpar os móveis externos com um pano úmido pela manhã – para retirar vestígios do pó que a mariposa libera. Além disso, evite deixar roupas ou toalhas no varal durante a noite.

Em caso de infestação, com muitas mariposas aparecendo de uma só vez na sua casa, ligue para a Polinseto dedetizadora em Curitiba! Trabalhamos com o controle de pragas urbanas e também serviço de prevenção.

Saiba mais sobre a dedetização preventiva e descubra como evitar pragas urbanas. Faça o download do nosso infográfico:

A Polinseto realiza o serviço de dedetização, desratizaçãodescupinizaçãocontrole de pragas para empresas e residências. Entre em contato pelo telefone (41) 3256-7625 ou solicite um orçamento via WhatsApp (41) 98484-7625. Acompanhe nossa páginas no Facebook para mais informações e dicas.

0 Comentários

Envie uma Resposta

Entre em contato

Envie sua mensagem com telefone que retornaremos o mais rápido possível.

Enviando

Desenvolvido por Mercado Binário - Criação de site.

Click Me

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?